A bordo de um Volvo V60

Em setembro foi lançado mundialmente para jornalistas o novo modelo da Volvo, o V60, uma sport wagon robusto com traços de coupé, com faróis angulosos nas laterais, que como definiu […]

Remix is everything

Como qualquer pessoa que cria um novo negócio, o nosso drama inicial (meu e da Ana Laura) foi criar o nome da nossa agência. Batemos cabeça, tivemos insônia, fizemos listas […]

Mais é nada

Lembro-me  da minha adolescência em que eu tinha paz ao ler calmamente os meus livros, as minhas revistas, ver os meus filmes, ouvir meus discos. Tudo chegava aos poucos, o […]

Casa Nova

jan 29
2012

Agora estou aqui no Feeling the blank… :)

Férias

dez 11
2011

Nesses últimos meses tem sido bem difícil atualizar o blog, algo que eu adoro fazer, pois é sempre uma ótima terapia parar para escrever.

Porém, vou dar uma parada para um respiro e para terminar a nova versão desse mesmo blog, mas que retornará mais bacana e com algumas mudanças bem grandes.

Boas festas!! E uma ótima virada de ano para todos…

Duck Sauce: Luis Guzman

dez 4
2011

Acho que How To Make it in America é uma das minhas sérias favoritas ever… e vamos concordar que a segunda temporada está dando uma lavada na primeira. E claro, quem não tem o Rene como personagem principal??? Dá uma olhada no que o Duck Sauce fez em parceria com a série, a versão Barbra Streisand para o Luis Guzman, ator que faz o Rene:

A dica foi dada pelo @phelipecruz

FASHION FILM: LEA T. para ELLE BRASIL

dez 2
2011

Directed by MANUEL NOGUEIRA and LUISA BERNARDES
Art Director – Clayton Carneiro
Fashion Editor – Susana Barbosa
Fashion Coordinator – Rita Lazzarotti
Beauty Artist : Henrique Martins
Produced by ICELAND 2ND NATION and GO-MO Fashion Films
Special Thank’s to Lea, Ricardo Tisci, Way Models, Roberto Martini, Irena Menk, Bruno Serroni, Sara Dalila and Eric Presente

Última PostiT de 2011 amanhã

dez 1
2011

Esse ano foi uma correria tresloucada. Trabalho intenso, festas, coisas boas, coisas ruins, viagens e agora vamos rumo à reta final de 2011. O pé começa a se mexer para tocar o breque, mas ainda titubeia um pouco, afinal tem muita coisa pra acontecer nessas próximas 3 semanas, antes do embarque para a terra do Papai Noel.

Para fechar com chave de ouro, eu e o Phelipe fechamos uma última edição da PostiT com a galera da Golarrole, de Recife. Vou até surrupiar o post que o Phelipe Cruz fez no Papel Pop sobre a festa, afinal a correria ainda está rolando.

post by @kisley

“Como é bom ir ao Recife de novo com a PostiT! Deixamos a última festa de 2011 do Papelpop acontecer nessa cidade linda que a gente ama de propósito, meus amigues! No Recife é sempre insano e divertido demais.

A PostiT rola no dia 2 de dezembro (sexta), às 23:30, no @Vapor48! Phelipe Cruz, eu, FuckyeahGuigs e dona Allana Marques vamos tocar até o amanhecer e ir até o chão com vocês! Vamos lotar aquele lugar como sempre!”

E dia 2 já é amanhã, estamos mega empolgados e vamos fazer o Vapor 48 dar aquela tremedinha básica… que rufem os tambores!

PostiT no Recife
Quando: Sexta-feira, dia 2 de dezembro, às 23h30
Local: @Vapor 48
Ingressos: Antecipados em dois lugares
*Vulgo: Av Conselheiro Aguiar – Boa Viagem / 30315089
*Avesso: Av Rui Barbosa 806 – Graças / 33017692
R$20 – 1o lote
R$25 – 2o lote
R$30 – na porta
Produção: Golarrolê

Proibidíssima a entrada de menores de 18 anos.
(exigido documento com foto na portaria)

Ladytron nessa quinta-feira no Cine Joia

nov 15
2011

Mal consegui respirar nesse um mês que passou voando, desde que topei a empreitada de promover o show do Ladytron aqui em São Paulo, que rola no clube mais esperado do ano: o Cine Joia. A contagem regressiva seguiu desde então, já que o show visto na primeira vez que a banda aterrissou em São Paulo há 5 anos atrás, deixou gostinho de quero mais. Essa vontade aumentou ainda mais após ouvir incasavelmente o novo álbum “Gravity the Seducer”.

Passei o final de semana com a banda e isso animou ainda mais vê-los ao vivo, pois a empolgação deles em tocarem por aqui após tanto tempo (ainda mais no Cine Joia, que o Daniel Hunt pode conferir antes da casa abrir e não vê a hora de tocar por lá) é enorme.

by Felipe Tofani

Fica a dica: se você ainda não comprou o ingresso para o show, não marca toca, porque ainda tem e o show vai valer cada segundinho. Além do Ladytron, ainda tem o novo show do Boss in Drama e discotecagem dos amigos Bruno Frika, No Breaks e Roots Rock Revolution. A noite não tem hora pra acabar!

Para comprar ingresso, basta acessar a fanpage do Cine Joia e fazer a compra por lá. Caso tenha qualquer problema, me manda email que a gente resolve o problema.

E agora clica no play para ver um dos últimos clipes que a banda lançou, para a música Mirage, do último álbum:

Já pega carona e ouça também o Gravity the Seducer:

Ladytron – Selections from ‘Gravity The Seducer’ by nettwerkmusicgroup

Ouça aqui o Pure Gold, álbum de estreia do Boss in Drama, na íntegra:

PURE GOLD (DEBUT ALBUM – 2011) by Boss in Drama

Neutral Milk Hotel: Naomi

nov 15
2011

Acabei de ver no Pitchfork e até venci meu sono para escrever esse rápido post, porque eu ouvi muito “Neutral Milk Hotel”, assim como já ouvi “Galaxy 500″ incansavelmente e chorei do início ao fim no show do Damon & Naomi, no Sesc Vila Mariana, em 2002.

No álbum “On Avery Island”, do Neutral Milk Hotel tem a linda canção “Naomi”, que aparentemente foi escrita para a Naomi Yang. Depois de 15 anos da música ter sido lançada, a Naomi (atual “Damon & Naomi”) fez um vídeo para a essa música. O clipe é lindo de morrer com a Naomi dublando e mostrando visualmente a letra da música.

Por aqui, a música só trouxe boas lembranças de uma fase que parece tão longíqua:


Neutral Milk Hotel’s “Naomi” from Naomi Yang on Vimeo.

#musicmonday – ben howard

nov 14
2011

ben howard é mais um talento inglês desta nova safra de cantores de folk. com uma voz suave e músicas fofas, seu álbum de estreia – every kingdom – é daqueles que vale a audição do inicio ao fim sem interrupções.


“Oh yeah, keep your head up, keep your heart strong”

Feliz dia do designer

nov 6
2011

Sou apaixonada por design, mas posso afirmar que é uma paixão bem pós-adolescente. Não foi o que me acompanhou desde cedo, mas meu primeiro namorado sério, com quem eu passei 7 anos juntos, era um grande ilustrador. Talvez tenha vindo daí meu olhar mais atento e crítico.

Quem acompanha minha verborragia nas redes sociais, sempre se depara com referencias de design em todas as suas formas, porque eu gosto de contemplar o belo. Não à toa me juntei com um sueco diretor de arte, que tem enriquecido ainda mais o meu olhar.

Há pouco tempo atrás fui convidada para palestrar no evento #Construção, dedicado a designers. Assim como fui convidada pela Volvo a entrevistar o Peter Horbury no ano passado e esse ano foi me dada a missão de criar um roteiro de design em São Paulo, para os interessados pelo assunto. Um dia desses passeando pela Micasa com uma amiga, a vendedora perguntou se éramos designers.

Enfim, eu sou apenas uma metida que gosta de coisas bonitas. Apesar dessa ligação com design, eu sou menos atenta aos nomes. Se me perguntarem quem é meu designer favorito, eu vou gaguejar, pois não é um assunto no qual eu me aprofundo, mas tenho uma admiração inigualável e uma inveja (saudável?) dos grandes designers, independente da área em que atuam. Já que tal dom eu não tenho, então eu reverencio a todos que destacam à sua maneira nessa área.

Como por aqui eu sempre falo sobre a Suécia, que é hoje meu segundo lar, decidi mergulhar um pouco na história do design escandinavo, um dos mais famosos (e incríveis) do mundo. E trouxe à tona objetos icônicos, que talvez nem todos saibam, mas se originou em algum canto escandinavo. Também são designs atemporais, coloridas e que onde quer que estejam, marcam o ambiente.

Quem um dia não se sentou numa Panton, provavelmente cópia, em algum escritório ou casa modernosa? O dinamarquês Verner Panton (1926-1998)  foi um dos designers de maior influência no século XX, tendo criado a famosa Panton em 1960, a primeira cadeira de plástico a ser produzida, isso cerca de 10 anos após ter se formado pela Academia de Arte de Copenhagen e ter trabalhado ao lado de outro grande designer dinamarquês, Arne Jacobsen.

A cadeira mais copiada do mundo é o modelo “7”, criada em 1955 pelo Arne Jacobsen (1902-1971), também criador dos famosos modelos Egg Chair (1956), Swan Chair (1956) e a Ant Chair (1951).

Outro que inovou os anos 60 foi o finlandês Eero Aarnio (1932-), especialmente com suas cadeiras de plástico e fibra de vidro, como a sua cadeira mais famosa, Bubble (1962), que foi descrita pelo designer como “uma sala dentro de uma sala”, ao causar a sensação de privacidade ao mesmo tempo que dá uma visão 360 do local onde está instalada, causada pela sua transparência e forma.

Outra das suas criações conhecidas é a cadeira Ball (1966), que eu duvido que alguém aqui um dia não pensou em comprar uma para deixar a sala mais divertida, com seu ar retrô, ao mesmo tempo que causa a impressão de isola-lo do mundo, assim como sua antecessora.

Para fechar essa pequena lista de alguns dos designers mais icônicos dos anos 60, que eu curto bastante, escolhi o sueco Sigvard Bernadotte, que nasceu em 1907 com título de príncipe e morreu aos 94 anos. Ele não ficou famoso por cadeiras, mas por criar ao mesmo tempo produtos luxuosos de prata para a marca dinamarquesa George Jensen, e objetos de plástico para uso doméstico do dia-a-dia. De muitas coisas bacanas que fez, eu confesso que meu xodó pelas tigelas de empilhar coloridas Margrethe, criadas em conjunto com o Acton Bjorn, na década de 50 e super modernosas até hoje. São simples e com marcas geométricas fortes, além da divertida combinação de cores. Vale dar uma vasculhada na diversidade de coisas que ele criou, mas as tigelas são minhas favoritas.

E agradeço a todos os incríveis designers que facilitam, encantam e deixam o mundo mais bonito.

*Para quem quiser mergulhar no design escandinavo de perto, eu indico a visita à Scandinavian Designs, que fica ao lado do DOM.

- Esse texto foi escrito originalmente para a Volvo Cars Brasil

Trent Reznor: estudo de case

nov 6
2011

Essa palestra foi feita no Midem, que é um evento focado em música & tecnologia, sobre como o Trent Reznor tem experimentado com o NIN, novo modelo (já não tão novo) de negócio para alcançar e se conectar com os fãs de uma forma diferente. Não há mais tanta novidade, mas vale o repeteco pra quem já conhece o case: