Archive for the ‘tecnologia’ Category

você tem medo do google?

segunda-feira, junho 8th, 2009

” O Google sabe mais sobre você do que a sua mãe. O Google sabe mais sobre você do que qualquer outra pessoa ou empresa no mundo. E não é difícil entender por quê. “

está é a frase de chamada para a matéria da revista Galileu de junho. sim, aquela revista que você usava nas épocas de colégio para fazer pesquisa e aqueles cartazes recorte-cole, lembra?!

capa revista galileu
Com uma boa repaginada, a revista chega as bancas com uma cara meio Wired (não que isto seja ruim, muito pelo contrário,  faltam publicacões por aqui da qualidade dela) e um conteúdo muito mais cultura e consumismo do que tecnlogia e ciência.

a matéria de capa é boa, ainda que não aprofundada. muitas notas breves. matérias mais extensas e gostosas de se ler. li do começo ao fim e gostei.

Vídeo genial do dia: a verdadeira interface humana.

sexta-feira, maio 29th, 2009

Sem comentários!

Sutiã que ajuda a arrumar marido

quarta-feira, maio 13th, 2009

A Triumph lançou no Japão um sutião que tenta driblar a crise do casório. Os criadores do sutiã se inspiraram no best-seller ”The Times of Marriage-Hunting” do autor Toko Shirakawa. O livro fala sobre o declínio do casamento e o crescimento de pessoas entre 30 e 40 anos que estão solteiras e com dificuldades de arrumar um parceiro.

O sutiã-conceito se chama Marriage-Hunting Bra e ajuda as mulheres focadas em casemento a selecionar um marido, lembrando-as de quanto tempo elas se deram até todas as suas esperanças de atar os nós se acabem. O visor mostra o número de dias que ela selecionou como data de casamento ideal. O sutiã é prático e vem com um lugar para pôr a aliança e bolsos para uma caneta e um selo de cartório.

Para as que se animara, aí vai o balde de água fria: a peça não está à venda.

Via

Arte digital interativa

sexta-feira, abril 17th, 2009

Feito para o Red Bull Music Academy 2008, o Guten Touch é uma instalação interativa que envolve a pessoa em uma relação natural com a tecnologia. [via UoD]


Guten Touch Installation redbullmusicacademy.com
Conceito, desenho e programação: multitouch-barcelona.com
Música: Saeglopur by sigur-ros.co.uk

O celular é antisocial?

quinta-feira, abril 16th, 2009

Li há um tempo atrás um ensaio na revista Época escrita pela Ruth de Aquino que ela discorre sobre a forma exagerada como nos relacionamos com nosso celular. Inclusive ela cita um romance do Philip Roth, Fantasma sai de cena, que depois de viver isolado nas montanhas por dez anos, ele chega a Nova York: “O que mais me surpreendeu foi a coisa mais óbvia – os telefones celulares. Na Manhattan de que eu me lembrava, as únicas pessoas que andavam pela Broadway aparentemente falando sozinhas eram os loucos. O que acontecera que agora havia tanto a dizer e com tanta urgência que não dava para esperar? (…) Alguma coisa que antes inibia as pessoas agora havia desaparecido, e por isso falar sem parar ao telefone se tornara preferível a caminhar pelas ruas sem estar sendo controlado por ninguém. (…) Para mim, isso tinha o efeito de fazer com que as ruas se tornassem cômicas, e as pessoas, ridículas. Havia também um lado trágico nisso. A anulação da experiência da separação. (…) Você sabe que pode ter acesso à outra pessoa a qualquer momento, e, se isso se torna impossível, você fica impaciente e zangado, como um deusinho idiota. (…) Tendo vivido parte da minha vida na era da cabine telefônica, cujas portas dobradiças podiam ser hermeticamente fechadas, impressionava-me aquela falta de privacidade. (…) Eu não conseguia compreender como alguém podia imaginar que levava uma vida humana falando ao telefone metade do tempo em que estava acordado”.

Quando li este texto na época, eu me vi bastante nele, pois eu passo boa parte do tempo olhando para o meu celular ou fazendo algo nele. Não necessariamente esperando ele tocar, porque não sou muito fã de falar ao telefone, mas para ver emails, twitter, meus feeds. Acabei refletindo e comecei a tentar deixa-lo um pouco mais de lado, pois notei muito facilmente o quanto alguém ao seu lado grudado no celular pode ser chato. Você está conversando com alguém que mal presta atenção nas suas palavras, pois está fazendo alguma coisa no celular. E não presta mesmo, por mais que diga o contrário.

Se você olhar a sua volta vai ver quantas pessoas estão no seu próprio mundinho mesmo ao lado de amigos. Acabo chegando a conclusão que o celular não conecta, mas disconecta. Torna o próximo em distante, o real em virtual. Nos transportamos para nossos pequenos aparelhos e nos trancamos como se ali fosse um meio seguro e muito mais interessante do que fora dele. Eu não sou muito diferente do perfil descrito, mas tive a sorte (ou azar, depende do ponto de vista) do meu smartphone dar pane e na pressa eu peguei um celular que a principal função é música, ou seja, pensar em utilizar a internet nele é algo quase impraticável. Percebi nestas duas semanas que estou com ele que tenho estado mais presente com as pessoas que estão comigo.

Não quero ir na contra-mão da tendência do celular, da publicidade que cada mais tem que pensar nele como um meio imprescindível, não quero voltar para trás, mas depois de uma boa auto-análise, eu quero me desconectar um pouco dele e curtir mais as pessoas que dividem minha atenção com ele. Deixar o celular para momentos mais solitários, quando ele me salva do tédio no trânsito, e urgentes.

Ontem meu namorado me enviou um vídeo de uma palestra dada pelo Renny Gleeson. Ele foi escolhido pelo Chris Anderson para dar uma palestra curta (3 minutos) durante o TED 2009. Ele fala sobre o perigo do celular e o quanto ele nos isola. E ele mostra isso de uma forma divertida, mas que faz muita gente se identificar.

O que é tendência no twitter?

sexta-feira, abril 10th, 2009

Sei que o que eu vou falar é chover no molhado, mas para mim não há ainda nada tão poderoso atualmente na web do que o Twitter, que eu considero ter o mesmo peso que o Google teve (e tem) na Internet. Atualmente eu utilizo mais o twitter para pesquisar do que o próprio Google. Por que? Porque a resposta já vem filtrada e me leva diretamente ao ponto. Claro que isso diminui minhas opções de buscas, mas para algo que seja pontual, eu acho que tem sido muito mais eficiente do que o Google.

Alguns exemplos: hoje eu queria almoçar em algum lugar que eu não conhecia, que fosse na região de Pinheiros e que fosse uma opção não muito cara. Lancei no twitter se alguém tinha alguma dica dentro desses parâmetros. Enquanto as respostas não vinham, eu pesquisava guias gastronomicos atrás de algo que atendesse à minha expectativa. Claro que surgiu uma lista imensa, mas eu não conseguia me decidir e muitas das opções estavam além do valor que eu queria pagar.

Em 5 minutos as respostas começaram a chegar no Twitter e coincidentemente algumas dicas eram as mesmas para usuários diferentes. Pesquisei um pouco mais na web sobre o lugar, me decidi e fui lá conferir. Pronto! Ponto para quem deu a dica e ponto para o twitter que viabilizou minha busca acertada.

O Twitter me ajuda a saber rapidamente como está o transito em determinado lugar, quais são as principais notícias do dia, as fofocas, quem acabou de assinar algum contrato para tocar por aqui, albuns lançados, o que as pessoas acharam das minhas festas e por aí vai, além de muitas vezes me salvar dos meus momentos solitários em trânsito ou em uma sala de espera. As minhas atualizações por assuntos que gosto também são bem mais dinâmicas do que a leitura dos meus feeds, já que sigo quem é referência para mim e tais pessoas costumam sempre me brindar com links preciosíssimos.

Estou no Twitter há exatamente dois anos e meu primeiro amigo foi o Rômulo, que demorou muito até a voltar nele e a começar a usar a ferramenta. Meu segundo amigo e a primeira pessoa com quem eu interagi foi o Oct, que entrou na mesma época que eu. Na época boiei porque não entendia patavinas para o que servia e comecei a utilizar ativamente depois de uns três meses de ter feito meu cadastro.

E vejo como uma grande revolução porque o Twitter prova que o que importa é o conteúdo e não a forma. E o que mais me agrada é a quantidade de novos aplicativos e agregadores que são lançados quase que diariamente para o Twitter.

Hoje a bola da vez para mim foi o Tinker, que é conecta com sua conta no Twitter, inclusive você pode acessar seu twitter sem sair dele. A idéia é criar eventos em cima de assuntos que estão em alta no twitter através das tags mais utilizadas. Cada assunto está dividido em categorias e tem uma área que mostra os que mais comentados. Hoje quem lidera o ranking é o SXSW 2009 e Lost. Por exemplo: o bafo que rolou por conta do scritp que gera followers automaticamente poderia ter ido facilmente para o ranking do Tinker, já que foi a polêmica da semana, mas ainda não rolou uma invasão brazuca por lá.Tinker

Via ReadWriteWeb

Flutter – the nanoblogging

domingo, abril 5th, 2009

:P

Sabe… o mundo vai virar um grande iPhone

quarta-feira, março 25th, 2009

Chrome na tv japonesa

domingo, março 15th, 2009

Google resolveu promover seu navegador/browser com um anúncio de TV simples, criativo e global.

The Pirate Bay Trial

quarta-feira, fevereiro 18th, 2009

Começou na segunda-feira o jugamento dos fundadores do The Pirate Bay, Gottfrid Svartholm Warg (aka Anakata), Peter Sunde Kolmisoppi (aka Brokep) e Fredrik Neij (aka TiAMO). Eles são acusados de facilitar a infração de Copyright pela  Warner Bros, MGM, EMI, Colombia Pictures, 20th Century Fox, Sony BMG e Universal.

O TPB é o maior tracker de torrents no mundo e existe desde 2003. Em 2006, teve seus servidores invadidos pela policia sueca, o que deixou o site fora do ar por 3 dias. Eles são acusados de facilitadores porque nenhum arquivo fica hospedado lá, os verdadeiros infratores no caso seriam os 22 milhões de usuários que usam o site.

Este é o maior julgamento no caso de compartilhamento de arquivos da história, tanto que fora do tribunal ingressos para entrar estão sendo vendidos por cambistas. Todo o áudio do caso está sendo transmitido ao vivo aqui – a idéia era de que houvesse um webcast, mas a justiça sueca não permite cameras no tribunal – e uma tag – #spectrial – foi criada especialmente para isso. Ontem foram tiradas 50% das acusações contra os caras, e o Brokep mandou uma mensagem que dizia: “Como eles acharam que iria ser outra coisa que não um EPIC FAIL? Estamos ganhando de longe. “. Vida longa ao The Pirate Bay.

pirate-flags1

Se você quiser se informar mais: