Posts Tagged ‘girl talk’

Planeta Terra: saldo

quarta-feira, novembro 24th, 2010

O festival Planeta Terra chegou na sua 4ª edição e se consagra como um dos melhores festivais brasileiros de música. Line-up, estrutura, local e organização impecáveis a preço acessível. Público estimado: 20.000 pessoas.

Cheguei no Planeta Terra às 18h, depois de largar o carro no estacionamento vip e seguir numa van para o Playcenter. Até esse momento posso dizer que a organização estava impecável e ágil. A entrada também aconteceu sem problemas, o parque já estava com um tráfego intenso de pessoas e a tarde se encerrava nos presenteando com um belo por do sol.

Seguimos para o show do Holger, que fez um show empolgante com muita gente cantando junto e pulando. Eles falaram bastante, agradecerem infinitamente o convite para tocarem no festival, fizeram brincadeiras. Enfim, percebia-se claramente a emoção da banda em estar ali (também pudera).

Aproveitei para experimentar a montanha russa ao lado, enquanto assistia ao show. De cara encontrei muitos amigos na fila. Lá fomos nós para nosso primeiro momento de adrenalina, deslizar pelos frenéticos trilhos da montanha. Emoção, pernas bambas, rosto pálido, foi assim que eu, Ola, Caio e a Anny saímos do nosso carrinho e iniciamos nossa presença no Planeta Terra. Voamos para o main stage (festival é sempre correria, o fato de “ter que escolher” é com certeza o charme de qualquer festival).

O show do Of Montreal começou pontualmente às 19h. A banda tinha declarado que esse foi o maior palco em que já tocaram na vida, mas fizeram bom uso do espaço. Admiro artistas que são do tamanho (ou maiores) que o palco, independente do tamanho deles. Fizeram um show decente, animado e com direito a performances (que eu fiquei com inveja e queria fazer parte). Esse show marcou a final da turnê em que estão há um bom tempo.

Eu nunca tinha visto ao vivo e ao assisti-los, concluí “se Empire of the Sun” fosse bom, seria o “Of Montreal”. Confesso: a única atração que fiz careta ao conferir o line-up, foi o “Empire of the Sun”, que eu gostava até conferi-los ai vivo há alguns meses atrás e senti vergonha alheia.

A partir daí me dei conta de que me concentraria no Main Stage, pois no Indie Stage eu queria mesmo era ver Passion Pit e rever Girl Talk. Como já tinha conferido Yeasayer 2 vezes, resolvi ver Mika do começo ao fim. Assim como a maioria, eu me surpreendi. Achei o Mika O cara. O show foi divertidíssimo, a performance dele no palco é impecável. Tocou por uma hora e meia como se não houvesse amanhã, entoando seus hits animados e dançantes como Take it Easy, Grace Kelly, We are Golden e Relax, surpreendendo o público com sua simpatia, fazendo a mulherada delirar (só via tweet “mika, quero casar com você”).

Eu ouso dizer que o Mika fez a melhor apresentação do festival, pois surpreendeu a todos com uma produção impecável. Parabéns Mika, virei fã!!!!

Claro que a maior expectativa estava no Phoenix. Eu vi duas vezes e acho que os caras são realmente bons ao vivo, mas o show não é dos mais empolgantes. É show calminho, pra ver coladinho, mas não decepcionam mesmo (ao contrário). Teve gente que não gostou. Eu me empolguei a ponto de perder Passion Pit, que nunca vi ao vivo (me arrependi um cadinho). Fiquei por lá, curtindo, dançando, cantando. Parte do público debandou para o outro palco, perdendo a segunda parte, que foi muito mais animada, com direito ao Mars se jogar no meio da galera e ser carregado por boa parte da platéia, levando todos ao delírio (eu queria ter encostado um tiquinho pelo menos).


Phoenix – Lisztomania @ Planeta Terra 2010 from Ola Persson on Vimeo.

Acabei fugindo e pegando uma parte do Hot Chip, que apesar de gostar bastante do trabalho deles, nunca me empolgaram ao vivo, mas dessa vez não teve jeito: Over and Over, One Life Stand e Ready for the Floor fizeram eu me animar e dançar feliz. O som estava bom, a platéia animadíssima também, todo mundo cantando. Parecia uma baladona. Valeu a passada por lá.

Aí foi a vez de voltar para o Main Stage e conferir o Pavement, que eu estava bem curiosa. Gostei do começo, mas Stephen Malkmus não é das pessoas mais simpáticas. Fez um show pontual e bem feito, mas cumprindo seu papel. Claro que os hits como Gold Soundz, Silence Kid, Stereo e Cut Your Hair fizeram seus fãs saírem satisfeitos (pelo menos para mim foi bem ok).

E finalmente chegou a atração mais esperada: Smashing Pumpkins, que eu gosto bastante, mas como já tinha dito por aqui, andava meio de bode do Billy Corgan depois dele atacar o Pavement em seu twitter, ao saber que a banda abriria para eles.

Infelizmente e para a decepção de muitos, Smashing Pumpkins deixou a desejar e acabou entrando na lista dos shows mais chatos do festival. Achei que começaram bem, mas depois desandaram.

billycorgan

Não tive dúvidas, corri para um dos meus artistas favoritos do Planeta Terra: o Girl Talk!!! E não me decepcionou, ao contrário, continua na minha lista de melhores performances ao vivo. Ver os amigos pulando no palco e o Gregg pulando e tocando como um retardado, fechou a noite com chave de ouro. Encostei na grade e só saí quando o show se encerrou. Escolha perfeita: Girl Talk não decepciona nunca! Pena que boa parte do pessoal já tinha zarpado sem dar chance a esse show, que é imperdível. Quem não viu, senta e chora (com gosto, por favor), porque é para mim a melhor tradução de “felicidade”. Adoro show feliz, que faz eu pular, gritar, fechar os olhos e não querer nunca que o show acabe. Como definiu o próprio Terra, Girl Talk leva a selvageria ao palco e só fica parado quem não está lá. Eu conferi os seguranças remexendo os quadris. Ninguém segura esse homem e quem o assiste!!!!

O saldo final foi que o Planeta Terra fez a escolha certa do line-up. As bandas que acabaram não agradando, eram esperadíssimas e alguém tinha que trazer. Que venha a 5ª edição…. porque dessa eu não tenho nada a reclamar.

foto por andré ligeiro

foto por andré ligeiro

Epílogo: domingo às 2h20 da manhã eu fui puxada pelo Kevin Barnes (vocalista do Of Montreal) para ser sua bailarina, enquanto discotecava no Clube Glória, na festa BSide. Eu fui muito animada, até me dar conta de que a música que ele tocava era ruim de chorar. Como ele não queria parar de tocar e o público começava a debandar (ele é melhor vocalista do que dj), eu sugeri que tocaríamos juntos. Ele concordou animado, mas fiquei com medo dele emendar qualquer música que eu tocasse, com um heavy metal já pesado demais ao meu velho ouvido. Soltei “Beach Boys”, num remix lindo de morrer. Ele riu feliz e começou a dançar comigo. Quando a pista encheu novamente, ele sorriu e fugiu, finalmente deixando a pista para mim. Achei fofo da parte dele, que fui reencontrar horas depois sendo tirado do telhado do clube pelo segurança.

Planeta Terra: os esperados

sábado, novembro 20th, 2010

O line-up do Planeta Terra está impecável para ninguém botar defeito. Pode ter faltado nome, mas nenhum que foi convidado, decepciona (só o Empire of the Sun, que para mim é muito mico ao vivo num banda só… #prontofalei).

Eu chego pra ver Holger. Adoro a banda, os meninos e estou bem feliz por eles estarem num palco que é maior que a casa deles (como dito no twitter pela própria banda). Holger é banda para ficar de olho faz tempo! Fazem um show muito bom e consistente ao vivo. Vale a investida. :-)

Of Montreal é a primeira atração internacional do dia, tocando às 19h, no main stage. Pelo que li, a banda faz um ótimo e divertido live, com direito a encenações, jogação no meio da galera e, ainda, abrem o bis com Thriller, do Michael Jackson. Como aqui é festival, não tem bis, é torcer para que a música entre de outro jeito. Aproveitando o momento, no domingão, eu discoteco com o Kevin Barnes, no Clube Glória.

Dessa vez o Girl Talk vem com banda, o que é novidade para mim que já vi 2 shows ao vivo dele (e como eu super amo relembrar, fui quase uma go go dancer dele em NY, numa das experiências mais incríveis da vida). Estou mega curiosa e vai ser foda, ainda mais coincidindo com o lançamento do novo álbum “All Day”, que foi disponibilizado gratuitamente essa semana para download.

Até o Daft Punk, que nunca esteve no line-up, passou a ser a sombra da dúvida. Será que vem? Será que são boatos? De onde surgiu? Fiz até uma super pesquisa sobre isso, que vai valer um post de como as coisas se espalham na web, sendo verdadeiras ou não. Eu fiquei surpresa com o tamanho que a história do Daft Punk ontem ganhou, com direito a discotecagem no Secreto divulgada por fontes, aparentemente, confiáveis.

Phoenix, que também já se apresentou por aqui, volta para um show num momento que a banda tem uma outra proporção, conquistou o coração de todos os indies e pop. O primeiro show, no falecido Nokia Trends, foi incrível, num lugar pequeno, num palco pequeno, que se tornou pequeno para o tamanho deles. Nesse ano pude conferir um trecho no show no Lollapalooza, num palco gigante, num lugar gigante, tão grande quanto eles. Ou seja, se preparem, porque com certeza Phoenix vai figurar como um dos shows inesquecíveis dessa  noite.

A lista só começa por aqui, pois com certeza um dos mais aclamados da noite é o Smashing Pumpkins, que vai ter que aguentar o Pavement (nada contra Pavement, ao contrário, eu super curto) abrindo para eles. Para quem não sabe, o Billy Corgan destilou veneno em seu twitter quando soube que tocariam juntos por aqui. Eu quero ver os dois! Mas vou ter que dividir Smashing com Girl Talk (odeio momento de escolhas em festivais).

Estou curiosa para ver o show do Mika, mas que vai ganhar somente meia-hora da minha atenção, pois o show acontece quase no mesmo horário do Passion Pit, que é outra banda que quero conferir ao vivo. Ou seja, correria nessa hora. Tenho a sensação de que ambos fazem bons shows e vai valer a ginástica toda.

Yeasayer eu já vi e vou passar dessa vez, até porque estarei no Mika. Eu adoro o Hot Chip, mas não me empolguei em nenhuma das duas vezes que vi eles ao vivo (aliás, dizem que eles discotecam depois no D-Edge, #ficaadica). Mas tudo bem, nesse horário estarei curtindo Phoenix e emendando Pavement e Smashing Pumpkins, sem qualquer pressa, pois a volta ao indie stage será só no meio do Girl Talk (se bem que a entrada dele no palco é sempre apoteótica e dói o coração perder).

Enfim, apesar de ter apenas dois palcos, o Planeta Terra vai conseguir promover horas de maratona de shows, com gente correndo pra cá e pra lá para conferir de tudo um pouco. Claro que tem os shows que a gente quer ver inteiro e não abre mão por nada desse mundo.

Lembrando: hoje a partir das 15h30 rola transmissão ao vivo, com 4 canais, direto do Planeta Terra em HD.

Chegou o grande dia: Planeta Terra

sábado, novembro 20th, 2010

Depois de uma contagem regressiva de meses, chegou o esperado festival Planeta Terra, que traz hoje em seus dois palcos nomes como Smashing Pumpkins, Passion Pit, Phoenix, Girl Talk, Hot Chip, Pavement entre outros. O Playcenter já está prontinho e o pessoal já começando a chegar (especialmente os fãs do Smashing Pumpkins).

PlanetaTerraHD

Ontem foi o dia final do desespero para quem ainda não tinha conseguido ingressos. Restaram promoções e do nada, surgiram muitas pessoas vendendo convites no Twitter, o que proporcionou a alegria de muitos.

Ainda assim muita gente chupou o dedo e resta a mínima esperança de comprar na porta. Mas se ainda assim você vai ficar em casa por qualquer razão, a nossa dica é juntar quem também ficou na mão, encher a geladeira de cerveja e conferir o festival via streaming, que será feito em HD (é o primeiro a ser transmitido assim por aqui). A transmissão começa a rolar a partir das 15h30 no http://noticiasaovivo.terra.com.br/diversao/planetaterra/466-br/#330836. Quer uma dica? Pluge o computador na TV e divirta-se.

O festival também será exibido no Iphone, smartphones e Ipad – basta acessar o site m.terra.com.br. Kid Vinil, Bárbara Thomas, Gastão Moreira, Patrícia Travassos e Jonas Almeida comandam a transmissão, que será realizada também para a América Latina e EUA.

Horários dos shows:

Sonora Main Stage:
16:00 / 17:00 – Mombojó
17:30 / 18:30 – Novos paulistas
19:00 / 20:00 – Of Montreal
20:30 / 21:30 – Mika
22:00 / 23:00 – Phoenix
23:30 / 01:00 – Pavement
01:30 / 03:00 – Smashing Pumpkins

Gillette Hands Up \o/ Indie Stage:
16:00 / 16:40 – República
17:00 / 18:00 – Hurtmold
18:30 / 19:30 – Holger
20:00 / 21:00 – Yeasayer
21:30 / 22:30 – Passion Pit
23:00 / 00:00 – Hot Chip
00:40 / 01:40 – Empire of the Sun
02:00 / 03:30 – Girl Talk 3rd band

PS: sobre o concurso que rolou no blog, informo que não houve qualquer “truque” como afirmaram, pois não conheço a ganhadora (truque seria dar para amigos, não?). E a escolha foi feita em grupo, que achou que houve um baita esforço para ela ganhar e acabamos nos comovendo com o vídeo. Assistam até o final, a menina fez quase um clipe para a música. Sorry aos demais, gostaria de ter para todos, mas infelizmente foram apenas 2. :-(

Girl Talk lança seu novo álbum: All Day

terça-feira, novembro 16th, 2010

allday_frontcover

O Girl Talk, que aterrissa essa semana em São Paulo para se apresentar no Planeta Terra, lança novo álbum e, como de costume, disponibiliza o download gratuitamente.

O novo álbum All Day está disponibilizado em dois formatos: num arquivo só e também com todas as tracks separadas, o que não muda muito quando se trata de Girl Talk, que sempre se dá a impressão de estar ouvindo um mixtape.

Em breve eles vão disponibilizar a lista completa das tracks. Corram lá, baixem e já comecem o super aquece para o Planeta Terra, porque ninguém aquece melhor que Girl Talk.

Quer ir ao Planeta Terra?

sábado, novembro 13th, 2010

E foi com uma antecedência digna de festival europeu que os ingressos do Planeta Terra acabaram, né não? Chique isso.

Captura de tela 2010-11-13 às 15.54.37

Mas foi só agora que bateu o aperto, você percebeu que nenhum dos seus amigos tem ingresso sobrando, que até seus contatos quentíssimos ficaram sem ingresso, que dia 20 toda a galera mais esperta estará lá batendo lindamente seus carrinhos vermelhos e amarelos escutando Pavement… a pressão aumentou e você se ligou que marcou bobeira FORTE. Certo?

Como leitor cativo desse digníssimo blog, vamos ajudar a conseguir um par de ingressos. Para isso você precisa demonstrar sua vontade cantando para nós uma canção de uma das bandas desse line-up (perfeito, por sinal) e colocando o vídeo no youtube (ou outro canal de vídeo). O critério de seleção será:

- Afinação
- Ritmo
- Melodia… NOT!

Ganharão os locais mais inusitados para a serenata, a coreografia mais divertida, o figurino menos apropriado… ah, o que nos proporcionar maior vergonha alheia, saca? Sim, como sua comida de bola foi forte, você precisa pagar um mico à altura pra compensar. (E sim, nossa vida no escritório é chata só você pra colocar um pouco de cor na nossa existência…).

Mande o link com o vídeo nos comentários abaixo. No dia 18/11 avisamos quem será o sortudo(a) que fez por merecer, trocando o par de ingressos pela dignidade.

Quer uma dica de um clipe que pode render um ótimo vídeo? “We are golden”, do Mika, que também toca no festival. Confira e se anime:

Good luck !

Quem ficar de fora dessa, aproveito para lembrar que o Planeta Terra 2010 vai ser transmitido ao vivo, em 3 canais simultâneos no Terra TV, em alta definição.

Line-up completo:

GILLETTE HANDS UP \O/ INDIE STAGE

16h00 – República
17h00 – Hurtmold
18h30 – Holger
20h00 – Yeasayer
21h30 – Passion Pit
23h00 – Hot Chip
00h40 – Empire of the Sun
02h00 – Girl Talk

SONORA MAIN STAGE

16h00 – Mombojó
17h30 – Novos Paulistas
19h00 – Of Montreal
20h30 – Mika
22h00 – Phoenix
23h30 – Pavement
01h30 – Smashing Pumpkins

Já percebeu que vai ter que se dividir, pois tem atrações imperdíveis que tocam no mesmo horário, mas esse é o drama de qualquer festival.

Dica: a Volkswagen vai continuar com promoções na próxima semana dando novos pares de ingressos. Siga o @foxnoplanetaterra e na terça-feira fique de olho para saber como vai rolar.

Planeta Terra: Girl Talk

sexta-feira, novembro 5th, 2010

Girl Talk é para mim um dos artistas mais geniais dos nossos tempos. Deu a cara pra bater ao produzir seus mashups e enfrentando a sacal lei dos direitos autorais, é um dos participantes do Remix Manifesto, faz todo mundo pular insandecidamente por onde quer que passa, literalmente junta artista e público num espaço só, trazendo seus fãs para animarem o palco à sua volta, que se une com o público.

foto by le hiboo

foto by le hiboo

Na primeira vez que ele aterrissou em São Paulo, para tocar no extinto Motomix, eu tinha festa. Não fui, chorei, lamentei e sabia o grande show que tinha perdido. Na época ele foi um dos mais comentados pela sua apresentação pra lá de vigorosa, quase insana, em que tocou no meio do público na pista. O pessoal foi à loucura.

Em 2008 eu pude conferi-lo 2 vezes ao vivo. A primeira no Lollapalooza, mas por azar eu peguei o final do show, em que ele tocou logo depois do CSS. Na sequencia, eu fui para NY e o Larry Tee perguntou se eu queria ser “dançarina” do Girl Talk, na apresentação que ele faria no New Point West, que tinha Radiohead como headliner. Não titubeei, me fantasiei e me joguei! O show foi logo após o do CSS novamente.

olha eu ali de zebrinha

olha eu ali de zebrinha

Eu estava na maior expectativa. O lugar era incrível, ele é incrível e o público estava incrível. Entramos todos com apetrechos (brinquedos, bolas, atirador de papel, etc) pulando no palco. O show durou uma hora, com a estátua da Liberdade ao fundo. Com certeza entrou para o meu top 5 das experiências mais fodonas que eu já tive, afinal estar num palco, com milhares de pessoas à sua frente, com música boa que não deixa você parada e todo mundo feliz, causa uma sensação de felicidade indescritível (eu não falei que sou brega???). Depois do show bati um rápido papo com ele e aí virei fã de vez.

Girl Talk surfando na galera

Girl Talk surfando na galera

Depois disso eu tentei de todas as formas conseguir $$ para traze-lo para cá novamente, mas nunca rolou. Quando o Planeta Terra começou a divulgar o line-up, eu quase caí de costas e gritei de alegria quando soube que o Girl Talk estava confirmado. (Abaixo vídeo do show que eu estava)

Se você ainda não conhece, aviso: tem que conhecer, especialmente se gosta muito de música. Aqui vai um textinho que escrevi sobre o Feed the Animals, um dos meus álbuns favoritos da década 00, que na época foi lançado e você pagava quanto achava que deveria ou comprava os packages especiais:

“Feed the Animals” possui mais de 300 samples em menos de 1 hora, que nos remete para épocas diversas de nossas vidas e evocando fases esquecidas. Provavelmente é essa ode ao passado o grande responsável pelo estado de espírito em que sou acometida ao ouvi-lo. Afinal passa por Rage Against the MachineJay-ZTwisted SisterAvril LavigneMichael JacksonRadioheadQueenBeastie Boys,The PoliceThe CureFaith No MoreThe Jackson 5Yeah Yeah YeahsPublic EnemyEminemNine Inch Nails entre centenas de outros. Confira nesta lista todos os samples de Feed the Animals.

Preparem as pernocas, porque haja energia para dar conta!!!! Ele já prometeu fazer um show bem caótico por aqui. Ninguém duvida!

E não deixe de votar no Busão da CREW, faltam apenas 5 dias para encerrar a promoção.

O Planeta Terra rola no próximo dia 20 de novembro, no Playcenter. Confira a programação completa aqui e como todos já sabem, os ingressos estão esgotados, mas aviso: fiquem de olho porque tem promoção bombástica vindo por aí! Hehehehe….

Z-Trip

terça-feira, setembro 15th, 2009

Z-Trip não é nenhuma novidade para quem curte mashup, afinal o cara é considerado um dos fundadores dessa cultura e tocou por aqui em 2008. Para quem curte Girl Talk, Z-Trip é O cara. O rraurl já comentou a respeito há um ano atrás sobre o mixtape que ele fez pró-Obama, quando confirmaram que ele seria uma das atrações internacionais do Nokia Trends.

Quem ainda não ouviu, recomendo dar uma passada no myspace dele e também baixar o mixtape, que é uma ótima trilha sonora para essa terça-feira cinza.

Jackson 5 – I Want You Back (Z-Trip Remix) by lalai

RIP – A remix Manifesto pronto

domingo, maio 10th, 2009

No ano passado citamos o documentário “RIP – a remix manifesto” algumas vezes nesse blog. Finalmente ele está pronto e disponibilizado em vários capítulos na web para quem quiser ver. O documentário é sobre direitos autorais e a cultura de remix, tão em alta nos últimos tempos.

Esta é a primeira versão. Você pode ajudar, acrescentar e criar trilhar. Há várias maneiras de participar. Se animou? Saiba mais aqui. Segue o primeiro capitulo com Girl Talk, um dos meus artistas favoritos:

Via Ola Persson

E por falar em música…

segunda-feira, abril 13th, 2009

Pegando carona no post da Lalai sobre conhecer novas bandas, dia 17 de abril começa o Coachella - um dos maiores festivais de música dos Estados Unidos. O evento acontece na cidade de Palm Springs, Califórnia, nos dias 17, 18 e 19 desse mês. Serão três dias de muito calor (ainda bem!) e muita música para todos os gostos (clichê total, mas é verdade).

Tenho de confessar que não conheço todas as bandas que vão rolar por lá (e quem conhece?), estou baixando desesperadamente algumas que ainda não conheço e esperando para ver as minhas prediletas. 

Pena mesmo é não poder curtir os 3 dias (infelizmente, tenho de ir pra Vegas :-P), mas acho que meu primeiro e único dia de festival vai valer à pena (tá, pelo menos pra mim). O line up vai desde Franz Ferdinand, Girl Talk, passa por Morrissey, We Are Scientists, The Black Keys, White Lies e termina com Paul McCartney. :-)

picture-1

Girl Talk

terça-feira, janeiro 20th, 2009

Fizemos nossas listas, mencionamos o que mais ouvimos e até concluí que o artista de 2008 foi TV on the Radio, já que ele esteve presente em pelo menos 8 de cada top 10 feito por revistas, blogs e jornais. Pensei bastante a respeito e o meu artista do ano foi Girl Talk. Talvez eu o eleja um pouco tarde, já que a essas alturas ninguém está mais olhando para trás e sim correndo atrás do que pode ser o grande booom de 2009, mas este post está na minha cabeça há algum tempo e eu precisava escrevê-lo.

Girl Talk tocou no Brasil no Tim Festival de 2007. Em São Paulo o seu show foi na The Week na noite eletrônica. Infelizmente eu perdi, pois tinha Rebel no mesmo dia. Foi com pesar que no dia seguinte ouvi todo mundo comentando sobre um dos melhores shows do Tim daquela edição. Antes disso ocorrer, eu e o Fabilipo tínhamos cogitado dele tocar no aniversário do Glória, mas que acabou fechando outra atração. Afinal quem era Girl Talk?

Na minha última viagem aos Estados Unidos eu tive a oportunidade de assistir a dois shows dele, porém o primeiro coincidiu com outro show e acabei abrindo mão. Deixaria para vê-lo no All Points West em NY. O álbum “Feed the Animals” tinha acabado de ser lançado e eu mal o tinha ouvido. Confesso que, apesar de imaginar um show muito divertido, eu não imaginei o quanto ouvir Girl Talk poderia causar uma sensação incontida de felicidade.

Girl Talk
Quando o Larry Tee me ligou perguntando se eu gostaria de dançar no palco com o Girl Talk, eu mal pude conter minha alegria, afinal se show já era considerado incrível para quem assistia, imagine para quem participasse diretamente dele. Essa experiência, que eu já citei várias vezes, foi com certeza uma das mais divertidas da vida. Assista a sequência aqui (eu sou a de fita rosa na cabeça e camiseta de zebra).

Girl Talk @ All Poins West (Foto tirada por http://www.flickr.com/photos/johnxavier/)

Desde então “Feed the Animals” tem sido tocado repetidamente no ipod, no computador e às vezes até nos meus sets. O cd foi lançado para download gratuito ou pagar US$ 5,00 para bonus track ou US$ 10,00 para receber o CD físico.

E tanto eu, quanto o Fabilipo e a Dani (que aderiu ao cd recentemente de tanto que falamos dele) temos discutido o quanto ouvir este álbum nos deixa feliz. Se em algum momento eu não estou legal, eu já corro para dar play nele. E nos meus devaneios sobre o porque deste cd ter tal eficiência como a pílula da felicidade, não foi difícil encontrar a resposta.

“Feed the Animals” possui mais de 300 samples em menos de 1 hora, que nos remete para épocas diversas de nossas vidas e evocando fases esquecidas. Provavelmente é essa ode ao passado o grande responsável pelo estado de espírito em que sou acometida ao ouvi-lo. Afinal passa por Rage Against the Machine, Jay-Z, Twisted Sister, Avril Lavigne, Michael Jackson, Radiohead, Queen, Beastie Boys, The Police, The Cure, Faith No More, The Jackson 5, Yeah Yeah Yeahs, Public Enemy, Eminem, Nine Inch Nails entre centenas de outros. Confira nesta lista todos os samples de Feed the Animals.

Com este repertório não há como não embarcar numa viagem ao tempo, especialmente se você viveu os anos 80 e 90. Por isso eu digo: Girl Talk é gênio!

*Vale relembrar aqui o post que a Dani fez sobre o Remix Manifesto e dar um pulo no site oficial, especialmente em semana de Campus Party quando um dos assuntos discutidos é Creative Commons